sexta-feira, 4 de março de 2011

Dia 27 de fevereiro. Pedal na Estrada Real, 7º dia: Carrancas x Caxambú. 96 kms

" O mais cascudo dos dias" começou com o céu muito carregado de nuvens que nos ameaçava a todo momento. Eu ia contando um a um todos os quilômetros que percorríamos numa estrada de terra sem fim que parecia não existir nos mapas. No caminho não havia casas, animais, pessoas... Quando finalmente avistamos um boteco pé- sujo na localidade chamada Vista Alegre não exitamos em parar pra tomar um refrigerante e comprar umas paçocas - mais tarde elas salvariam nossas vidas! Mais a frente alcançamos a Fazenda Traituba que parecia uma costrução fantasma. Como nada é tão ruim que não pode piorar, as nuvens negras nos enviaram uma chuva torrencial. Nessa hora eu brinquei com o Pedro dizendo que estava com vontade de desistir, mas nem isso eu podia: pra desistir tinha que chegar ao menos em Cruzília! Depois de 68 tenebrosos quilômetros chegamos bem maltratados e famintos. Depois de encher a barriga a auto estima voltou e foi fácil alcançar Caxambú pelo asfalto, mesmo com chuva.








3 comentários:

Pedro Eduardo disse...

Esse dia foi sinistro... o lugar esquisito... como voce disse, ate pra desistir o negocio era dificil ate pra desistir...usahusausah' mais no final valeu a pena, foi só 'pegar um belo rango', que as baterias recarregaram! E que cidade animadinha é Caxambu hein... hehehe'

João Bosco disse...

Michel, já não é a primeira vez que vc sofre nessa região de Cruzília. Tenho certeza que vc ainda não esqueceu, mas o Pedro sentiu agora o gosto do que passamos de Cruzilia para Luminárias, não é?!
Mas tudo vale a pena e se tudo der certo...

Michel Schanuel Girardi disse...

João, não poderia me esquecer e agora posso afirmar ainda mais: essa é a estrada mais terrível que eu já pedalei! rsrs Vou pensar duas vezes antes de pedalar quando ouvir o nome "Cruzília"! rsrs

Um abração!