sábado, 5 de março de 2011

Pedalar rumo ao desconhecido sem saber o que te espera depois da próxima curva é incrível. Novos horizontes se revelam aos nossos olhos sempre como uma surpresa - pode ser agradável ou não. Pedalando nesse caminho histórico que outrora foi desbravado pela nobreza, viajantes, ladrões, escravos, comerciantes e todo tipo de gente que buscava o caminho mais curto entre as montanhas das Gerais para o mar podemos sentir na pele um pouco da sensação vivida por eles: galgamos as mesmas montanhas, respiramos o mesmo ar, tropeçamos nas mesmas pedras. O ouro já não passa por esses estreitos caminhos mas toda a riqueza continua aqui, é só olhar ao redor para perceber. A história sai dos livros e passa a ser vivida, sentida. Cruzando essas montanhas mágicas em certos momentos eu me senti um Rei, dono de toda essa terra - em outros escravo carregando o pesado ouro nas minhas costas. A Estrada Real ficará para sempre na memória desse viajante.

PS.: Eu e Pedro percorremos 726 kms em 9 dias efetivos de pedal. A nossa meta de percorrer todo o Caminho Velho foi atingida. Agora falta o Caminho Novo e a Rota dos Diamantes! rsrs

13 comentários:

Nikson Salem disse...

Parabéns aos desbravadores da bike, Michel e Pedro.

Excelente passeio, ótimos textos e fotos espetaculares!!

Fabiano66 disse...

Para arrematar um texto que emociona! Valeu bandeirantes!

BTT-ALBI disse...

Neste momento até sinto que viajei na Estrada Real e tudo isso graças a vocês ! Obrigado.
O relato foi muito bom e as fotos também (como sempre).
Ficas-te muito bem na foto que estás sentado de frente da Igreja São Francisco de Assis em Ouro Preto ( Uma das Sete Maravilhas de Origem Portuguesa no Mundo )
Continuem assim porque a vida é bela !
1 abraÇo.

Michel Schanuel Girardi disse...

Não sabia da história daquela linda igreja João Afonso, obrigado por nos informar!
Abraço!

Jorge Nogueira disse...

E assim termina mais uma aventura do Michel e seu fiel escudeiro Pedro, 2 ciclistas legais ,super animados, sempre com o espírito de seguir em frente e descortinar o desconhecido , que nos fazem olhar para cima e acreditar que é possível.
Deus nos reservou o prazer de um dia tê-los como amigos, e hoje o infinito prazer de saborear suas aventuras aqui descritas.

Jorge Nogueira disse...

E aí !!! Já descansaram ??? ... Ainda estão descansando ??? Ou já estão ,de novo,( 99,9 % de chances ) pedalando por aí ??? ...rss...rss...rss...

Ju disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Ju disse...

Show de mais!! Muita coragem e fôlego!! Tbm fui a Paraty recentemente e se de carro demorou aquilo td e cansou tbm, imagina de bicicleta!? Bom, tenho um blog com alguns posts de Minas e tbm Paraty. Caso possa passar por lá ficaria honrada. Sucesso!
http://porondeufui.blogspot.com

Carlos Bernardo disse...

é essa a verdadeira icência do cicloturismo, a gente emprender uma viagem sem destino completamente no desconhecido, irmos conhecendo o trajecto á medida que vamos pedalando.
Parabéns pela vossa pedalada.
Um abraço: Carlos.

Raymundo Rodrigues disse...

Abraços Amigos!
Parabéns pelo êxito, o texto ficou maravilhoso.

JH0302 disse...

Mais um pedal foda perdido, e ainda tive noticia q a prova pode ser adiada, fz oq neh assim eh a vida, vamo marca pedal meneiro ai!
flw

Bananal, my history, my city, my life. disse...

Obrigada pela visita e comentário em nosso blog. Tudo de bom e sucesso nas trilhas!

camila disse...

Ola, nossa Parabéns suas palavras são lindas, vc escreve muito bem ^^
Adorei..

beijinhos Mila