segunda-feira, 26 de fevereiro de 2007

Orkutcídio

No meu último trabalho offshore, conheci o Mestre de Cabotagem Lucrécio. A função de um Mestre de Cabotagem é zelar pela navegação de uma embarcação e todos seus equipamentos de segurança, tais como bóias, baleeiras, botes de resgate, equipamentos de combate à incêndio, etc... O Lucrécio trabalha na plataforma Etesco Millennium, ele a trouxe dos Estados Unidos, numa longa e demorada viagem atravessando o Oceano Atlântico. Isso não foi nada, perto das mirabolantes histórias de sua vida.

Sentados na popa do convés principal, o velho Lobo do Mar me contava sua vida. Ele já navegou pelos 7 mares, rodou o mundo. Ele me contava histórias de longas viagens que fazia do Brasil pro Japão, sem escalas. Viagens que chegavam a durar 4 meses, em longos navios cargueiros. Me contou de tempestades em alto mar, que afundaram o navio que ele estava, certa vez. Me contou uma vez que seu navio começou a ser puxado por um furacão, mesmo com toda força dos motores ligados. Este foi parar a poucos metros da praia, quase encalhou. Quando ele achava que estava tudo perdido, o furacão se desfez, quase que por milagre, e o navio ganhou forças novamente.

Eu gosto e admiro pessoas assim. Conversar olho no olho, sentir a emoção que a pessoa transmite ao falar, seus gestos. Isso é uma coisa impossível de acontecer, mesmo com toda tecnologia, através de um papo pela Internet, por exemplo. Certas emoções, sentimentos, nunca vão ser realmente transmitidos com perfeição e exatidão através de um papo no MSN. Amizades vão muito além de um mandar um scrap no Orkut, ou um depoimento. Nada substitui palavras faladas pessoalmente, um abraço, um beijo.

Você pode conhecer pessoas maravilhosas no Orkut, mas com certeza esse primeiro contato nunca chegará aos pés de um encontro real, e acaba até perdendo um pouco o encanto. Em vez de tentar conhecer uma pessoa olhando suas comunidades, não seria melhor descobrir isso numa conversa? Grandes perfis, muitas fotos, podem esconder realmente o que a pessoa é. 785 amigos não significam que a pessoa realmente tenha amigos verdadeiros, que pode contar quando realmente precisa de um ombro amigo, seja para desabafar ou contar uma alegria.

E foi pensando nisso que resolvi sair do Orkut. Meus verdadeiros amigos sabem meu telefone, sabem onde eu moro. Sabem onde me encontrar. Não vou mais procurar pessoas que me pareçam interessantes, vou deixar isso por conta do acaso, fora do mundo virtual.

5 comentários:

Paty disse...

ameeei o seu texto!!!
mais um deles neh?!
acho q vou me orkutcidar tb!!
concordo com cada palavra..
amigos de verdade não conversam só por msn e orkut.. se falam pessoalmente.. ligam umas pras outras.. e se é assim... pra que eu tenho orkut???
meus amigos fazem isso! EU faço isso!!!
valeu pelo alerta hahahaha
bjs

Nelson disse...

Lobinho, essa ficha acaba caindo aos poucos. Me lembro como éramos fascinados pelo Orkut no início e o quanto por um tempo foi signficativo ter esse "contato". Por lá acabamos por conhecer pessoas que ficarão pra sempre em nossas histórias, outras que preferemos esquecer talvez. Mas fica a lição definitiva de que amigo é muito mais que um avatar numa página azul na grande rede.neçs

Silvana disse...

Amei o seu texto...
Aliás, eu amei todos os seus textos...vc escreve muito bem... já pensou em escrever um livro?...rs
Mas falando sério...seu texto resume tudo o q eu penso sobre fazer amizades on-line:podem ser legais, com um bom papo, mas nem se compara com um simples oi q vc pode dar casualmente na rua a um conhecido na rua... engraçado, né?!
Sem o contato humano a gente não vive, pq a gente não vive sozinho...
Agora chega,né... o texto tá fikando muito grande
beijos e parabéns pelo texto

daniele disse...

Parabens vcs são otimos inclusive no que fazem eu tabem sou IRATA..........apesar de não conhece-los acheios demais.........bjs

Anônimo disse...

Boa tarde. Meu nome é Roberto, eu estava procurando a respeito da plataforma de pampo e por acaso encontrei seu blog na internet, muito legal! deu para ver mais ou menos como é trabalhar. Esse assunto me interessa porque vou trabalhar lá daqui há uns meses e gostaria de saber como é a rotina. Tem lugares para lazer? Piscina, área para churrasco, essas coisas que fazem parte da nossa vida... Gostei do seu blog e se der gostaria que você fizesse um texto à respeito de pampo. Parabéns pela coragem! Obrigado.